fbpx

Agrotóxicos ou Fertilizantes no controle de pragas e fungos?

O Brasil é um país essencialmente agrícola. Somos eficazes em várias vertentes e sabemos que a nutrição mineral de plantas representa um dos aspectos mais importantes a ser considerado na produção vegetal.

Através de uma adubação equilibrada se pode obter um cultivo saudável, produtivo e, por consequência, com maior capacidade de resistência à doenças e pragas. o uso de fertilizantes no combate a pragas e fungos se faz bastante eficiente.

Há outros produtores que, mesmo sabendo dos diversos riscos ao meio ambiente, utilizam agrotóxicos em suas lavouras pois julgam que essa é a forma mais eficiente no combate de pragas e fungos.

Mas será que os fertilizantes no combate a pragas e fungos são eficazes? Ou devemos fazer uso dos agrotóxicos? Veja as vantagens de cada uma das formas de combate e tire suas conclusões.


Os fertilizantes são utilizados no combate a pragas e fungos?

Todo produtor sabe que uma boa nutrição é essencial para o sucesso de qualquer lavoura. Será através da fertilização com os nutrientes adequados que se pode obter uma lavoura mais saudável, produtiva e resistente a pragas e fungos.

Além de nutrir o solo corretamente, a fertilização irá disponibilizar o “combustível” necessário para o bom funcionamento do metabolismo da planta, ou seja, o uso de fertilizantes fará a planta se desenvolver melhor.

Podemos até fazer uma analogia com o nosso organismo. Se nos alimentamos bem, provavelmente seremos mais saudáveis. Com os vegetais não é diferente! Se a lavoura tiver um ambiente equilibrado, ela se desenvolverá mais forte e saudável.

O uso de fertilizantes foliares no combate a pragas e fungos seja realizado de forma equilibrada. Isso porque, o desiquilíbrio (excesso ou falta) pode possibilitar, dentre outras coisas, o ataque de pragas e fungos.

Nutrientes fornecidos em excesso não serão utilizados pelas plantas, podendo até induzir a deficiência de outro nutriente, reduzindo a resistência da planta, além de gerar acidificação do solo, imobilização de nutrientes, mineralização, redução da matéria orgânica e, consequentemente, aparecimento de pragas e fungos.

Assim, o uso de fertilizantes no combate a pragas e fungos só será eficiente se for realizado de forma equilibrada, respeitando às características do solo e da planta.


Por que utilizar agrotóxicos no combate a pragas e fungos?

Muitas pessoas são contra o uso de agrotóxicos no combate a pragas e fungos pois julgam que os defensivos fazem mal para a saúde, sendo os grandes responsáveis por “contaminar os alimentos”.

Os agrotóxicos são utilizados mais como forma combate e menos como prevenção ao ataque de pragas. Porém, muitas pragas e insetos estão se tornando resistentes aos agrotóxicos mais fortes. Por isso o produtor usa mais e mais agrotóxicos para “proteger” sua lavoura. O que não está nada correto e pode gerar um sério problema.

Entretanto, desde que respeitadas as características, normas e exigências técnicas de utilização e segurança, o uso de agrotóxicos pode até ser bastante viável para combater pragas e fungos.

Assim, é fundamental que o produtor que busque adotar o uso de agrotóxicos siga alguns cuidados fundamentais. Utilizar os EPIs, respeitar os períodos de carências, as épocas e condições de aplicações são importantes para buscar um equilíbrio e uma harmonia entre o uso de defensivos químicos e a natureza.

Por fim, assim como ocorre com o uso de fertilizantes no combate a pragas e fungos, o uso de defensivo agrícola deve ser feito com ajuda de técnicos especializados, não prejudicando solos, rios, nascentes, lençóis freáticos, animais e o ser humano.


Utilizar fertilizantes ou agrotóxicos?

Explicadas as vantagens e desvantagens de fertilizantes e de agrotóxicos, fica a pergunta: Qual o melhor?

Não se pode dizer que há um “método” 100% melhor (nem pior), pois a eficiência máxima dependerá de diversas variáveis.

No entanto, a questão ligada à sustentabilidade vem ganhando bastante força no ambiente agrícola, assim, ações ligadas a essa temática tendem a vencer essa disputa. Neste contexto, tudo indica que o uso de fertilizantes no combate a pragas e fungos parece ter maior capacidade de promover a proteção do meio ambiente, do ser humano e da lavoura.

Os fertilizantes serão responsáveis por aplicar produtos químicos no solo enriquecendo-o ou tornando-o mais propício à lavoura, modificando positivamente seus minerais e nutrientes.

Porém, mesmo sendo mais recomendado, o uso de fertilizantes no combate a pragas e fungos, também deve ser feito com muito cuidado, visto que este é um produto químico e, por isso, seu uso indevido pode resultar em sérios problemas à lavoura.

Vale ressaltar também que existem fertilizantes destinados à cada fase de desenvolvimento das plantas, que apresentam diferentes demandas. Assim, o uso sem critério pode facilmente causar superdosagem, (o popular overfert), que podem até matar as plantas. 

Por isso, é fundamental que o produtor, ao adotar a fertilização de sua lavoura, sempre faça análise do solo e busque empresas idôneas que disponham de produtos de qualidade e que sejam devidamente registrados no MAPA.

Também se faz interessante que essas empresas ofereçam recomendações técnicas adequadas as necessidades específicas de cada cultura. A lavoura (e o produtor) só tem a ganhar!

Fonte: Multitecnica