fbpx

Áreas produtoras só devem ter chuvas regulares na 2ª metade de outubro

Previsões estendidas indicam aumento precipitações no Centro-Sul no fim de agosto, mas faltará constância.

As raras precipitações em áreas produtoras do país esta semana acontecem no sul do Paraná (15 milímetros), norte de São Paulo (5 milímetros) e sul e oeste de Mato Grosso (5 milímetros) o que não ajuda em nada a situação das queimadas.

Previsões mais estendidas indicam aumento das chuvas no Centro-Sul a partir de 29 de agosto. As precipitações alcançam primeiro o Sul e depois se espalham, até 7 de setembro, em direção a São Paulo e Mato Grosso do Sul. A tendência é de acumulados de pelo menos 50 milímetros em boa parte do Sudeste e  Centro-Oeste na segunda quinzena de setembro. 

“A questão é que a regularização da chuva acontecerá mais tarde, somente a partir da segunda metade de outubro”, alerta Celso Oliveira, meteorologista da Somar. Há previsão de pelo menos 15 dias de tempo seco e extremamente quente no Sudeste e Centro-Oeste antes de começar a chover com frequência nas duas regiões.

Retrospectiva das chuvas

Nos últimos sete dias, choveu pouco sobre o Brasil, favorecendo as atividades de colheita de café, laranja, cana-de-açúcar, milho e algodão. As poucas precipitações aconteceram no Rio Grande do Sul, leste do Nordeste e extremo norte do país.

“É normal o tempo seco nesta época do ano, porém a estiagem afeta estados que normalmente registram chuva no inverno, caso do Paraná e Santa Catarina”, explica Oliveira. Vários municípios já chegaram a 50 dias sem chuva significativa, aumentando o risco de racionamento de água para consumo humano e de animais.

A estiagem está ligada à temperatura na porção leste do oceano Pacífico, mais fria que o normal. Isso faz com que as frentes frias chuvosas fiquem concentradas na Argentina, Uruguai e Rio Grande do Sul. Quando as frentes frias conseguem avançar pelos estados, passam somente pelo litoral, trazendo apenas queda na temperatura. Estamos registrando grande oscilação térmica durante as semanas, ora com frio intenso, ora com calor e baixa umidade do ar.

Nesta segunda-feira, 19, o dia virou noite na região metropolitana de São Paulo com a chegada repentina da frente fria. Enquanto a máxima não vai passar de 17ºC na capital nesta terça-feira, 20, o interior do estado pode registrar até 30ºC. 

Perspectiva

Diferente das últimas semanas, quando a temperatura oscilou bastante, espera-se um período mais persistente de frio nesta. As geadas acontecem somente sobre o centro, oeste e sul gaúchos, com mínimas variando entre 0°C e 2°C até quarta-feira, 21. A temperatura baixa, por sua vez, será sentida do Rio Grande do Sul ao sul da Bahia.

A partir do domingo, 25, os termômetros começarão a subir novamente. A próxima semana será caracterizada por calor na maior parte do país.


SEGURO AGRÍCOLA
Com a necessidade do produtor rural ter um seguro de lavoura sem burocracia, de fácil contratação e que protegesse seus altos investimentos contra intempéries climáticas, a SEGURAGRO inovou os serviços de atendimento e assessoria na contratação de seguro agrícola de lavouras para culturas de soja, milho, trigo, feijão, café, cana-de-açúcar e outras culturas.

SAIBA MAIS SOBRE SEGUROS AGRÍCOLAS

Fonte: Canal Rural