fbpx

Bambu se torna alternativa de renda para o produtor catarinense

Um projeto de desenvolvimento do bambu está em andamento em Santa Catarina, através de uma parceria entre a Associação Catarinense do Bambu (Bambusc) e a Epagri.  As ações prioritárias consistem na capacitação de agentes técnicos e líderes rurais, tanto na área de produção e manejo da cultura quanto na produção de móveis e peças de artesanatos. Outra ação importante é a implantação de unidades de bambu em centros de treinamentos estratégicos da Epagri, com o objetivo de avaliar cultivares e disponibilizar mudas para os produtores rurais interessados.

De abril a novembro de 2019 serão realizados vários cursos visando explorar o potencial da cultura e assim ofertar uma opção de diversificação de renda para as pequenas propriedades rurais do estado. São cursos técnicos sobre a produção de bambu e também de construção de móveis e artesanato.

O coordenador do projeto, engenheiro-agrônomo Gilmar Carlos Michelon Dalla Maria, da Epagri de Curitibanos, ressalta que o bambu é uma planta extraordinária e única, tanto em função de seu potencial para o meio ambiente no sequestro de carbono e  na  recuperação de áreas degradadas, quanto para as inúmeras utilidades para o ser humano.  “A sua  matéria  prima tem alto valor econômico e mais de 10 mil usos catalogados, desde a produção de carvão vegetal, papel, tecidos, móveis e nas construções e utensílios do cotidiano, até produtos com tecnologias de ponta, cosméticos e etanol.  Somente a China exporta 1,5 mil itens fabricados a partir dessa planta”, diz ele.

Gilmar explica que o bambu demora apenas seis dias para alcançar a altura de 20 metros e pode ser um substituto ideal para a madeira, por ser mais sustentável e auto renovável. “De olho nesse ouro verde, o Brasil, dono de uma das maiores reservas nativas do planeta, estabelecida no Acre, vem implantando sua cadeia produtiva com iniciativas e investimentos de empresários e do governo federal,  que criou a lei federal 12.484/2011. Vários estados também estão criando suas leis estaduais para o desenvolvimento  dessa cultura”, diz.

Em Santa Catarina, a meta principal do trabalho da Epagri e da Bambusc é tornar o estado autossuficiente na produção do bambu e desenvolver toda espécie de agregação de valor a essa matéria prima, proporcionando melhoria da renda e da qualidade de vida das famílias rurais.

Fonte: Epagri