fbpx

Chuva irregular e calor acima do normal vão impactar a aplicação de defensivos nesta Primavera

A Primavera é uma estação muito importante para os produtores brasileiros, porque marca o início do período úmido. Neste ano, a Região Sul deve ser a mais beneficiada pela chuva, mas na maior parte do País, a persistência das características de um El Niño fraco, mesmo o com o oceano pacífico equatorial já estando em neutralidade, pode prolongar o período seco. Além disso, as altas temperaturas também devem impactar as lavouras.

Região Sul: as áreas produtoras do Sul do Brasil já devem receber chuva durante o início do período úmido, devido à formação e passagem de frentes frias pela Região. Durante o mês de outubro, em alguns locais, a chuva pode ficar dentro ou ligeiramente acima da média esperada para o mês.

Região Sudeste: se a tendência de um viés mais aquecido no Oceano Pacífico Equatorial se confirmar, é possível que ocorra um atraso no estabelecimento do período úmido sobre algumas áreas da Região. No mês de outubro, por exemplo, os modelos meteorológicos indicam chuva muito irregular principalmente sobre o interior do Sudeste, enquanto as áreas mais próximas ao litoral devem ter maiores volumes acumulados, devido principalmente, ao avanço de frentes frias em direção à costa da Região.

Região Centro-Oeste: os produtores do Centro-Oeste costumam iniciar o plantio a partir do dia 17 de setembro, quando termina o vazio sanitário. Como setembro marca a transição entre o período seco e o período úmido, nem sempre a chuva está bem estabelecida e neste ano podemos ter uma tendência não tão positiva quanto no ano passado. A consequência disso pode ser chuva abaixo da média climatológica do mês, impedindo a recuperação da umidade do solo.

No mês de outubro, é possível que ainda haja um atraso na distribuição regular de chuva, mas o sul do Mato Grosso do Sul deve ter melhora com relação aos outros locais. Já Mato Grosso, Goiás e norte sul-mato-grossense podem sofrer um pouco mais com a falta de chuva bem distribuída.

Região do Matopiba: as Regiões Norte e Nordeste devem ser as mais afetadas pela má distribuição da chuva durante o período úmido, uma vez que já é normal que a umidade da Amazônia demore um pouco mais para se espalhar sobre essas áreas. Normalmente, a chuva não se estabelece em outubro no Nordeste mesmo em anos bons, e o plantio tende a ser iniciado em novembro. No entanto, mesmo em novembro, existe a possibilidade de que a chuva ainda esteja irregular sobre o MATOPIBA, mesmo que o El Niño já esteja desconfigurado, o que pode causar grandes problemas para o início do plantio.

Temperatura: em todas as regiões produtoras, a expectativa é que a temperatura fique acima da média climatológica a partir de outubro. Principalmente na Região Centro-Oeste, alguns dias com extremos de temperatura devem ser registrados. A combinação das chuvas mal distribuídas com o calor acima do normal pode provocar vários problemas nas lavouras, como estresse hídrico, aumento de pragas e competição por plantas daninhas. Portanto, o adequado manejo das lavouras e uma aplicação precisa de defensivos, serão essenciais para uma boa safra.

Fonte: Clima Tempo