fbpx

Drones surgem como alternativa para controlar uso de pesticidas

Da captação de imagens aéreas à aplicação de defensivos ou até mesmo colheitas, os drones estão revolucionando a agricultura

Estufas de alta tecnologia, controle do clima a partir do estímulo da chuva, automação do plantio através de máquinas de última geração, robôs colhedores de morangos, alfaces e que exterminam as ervas daninhas já são realidade no meio rural.

Nos últimos anos os drones, também chamados de VANTs – Veículos Aéreos Não Tripulados – têm se tornado cada vez mais populares. Primeiramente através de modelos com foco na captação de fotos e vídeos. Depois a partir de aparelhos mais potentes, inclusive realizando entregas, mapeando terrenos e ajudando em atividades antes só feitas por pessoas. Todo o avanço deste segmento tem projetado este setor para o mercado de investimentos.  



UTILIZAÇÃO

Os drones possuem uma imensa possibilidade de utilização. Usuários iniciantes costumam adquirir este tipo de eletrônico mais no intuito de entretenimento. Amadores e pessoas um pouco mais experientes neste mercado acabam usando drones para gerar conteúdo em fotos e vídeos. Já no campo profissional os drones possuem uma infinidade de aplicações. Controle territorial, monitoramento de plantações, evolução de obras da construção civil, ações de marketing. Estes são apenas exemplos que podem se multiplicar de acordo com a criatividade de quem manuseia os veículos aéreos não tripulados. 

A partir destes veículos aéreos, muitos produtores têm conseguido grandes resultados, passando a utilizar agrotóxicos de forma mais consciente. Inclusive, alguns empreendedores do setor agrícola afirmaram reduzir até 50% do uso de ingredientes para controle das plantações. Portanto, já é possível dizer que os drones impactaram intensamente na diminuição de pesticidas demonstrando a possibilidade de se obter cultivos mais saudáveis.

Fonte: Assessoria de Imprensa