fbpx

Importância de mudas para a agricultura

O cultivo de mudas é uma atividade antiga que assegura a qualidade e influência com êxito o sucesso de uma boa implantação agrícola. Na maioria das vezes o plantio direto ao solo com a semeadura, não garante a germinação completa e um vigor efetivo da planta que emergirá, além de demandar maiores custos ao realizar o manejo de solo, necessitando um maior gasto econômico, sem contar o alto uso de produtos químicos, necessários para implantação.

 Com isso, o uso de mudas na implantação de culturas agrícolas ganha força. Visto que a porcentagem na garantia de sobrevivência aumenta drasticamente, além de se obter plantas mais homogêneas que não causam alta competitividade no seu desenvolvimento quando levadas ao campo. E claro, descartando o tempo de germinação para o agricultor, pois a criação de muda faz com só as melhores sementes já germinadas cheguem ao campo.

São inúmeras as culturas que necessitam diretamente dos cultivos de mudas para serem plantadas, como o café, os citros, frutíferas como a goiaba, manga, abacate, entre outras. Além de hortaliças, plantas ornamentais, árvores nativas que são usadas para reflorestamento e manutenção de matas nativas

Desse modo, a criação de mudas em viveiro é uma prática valorizada no setor do agronegócio, buscando viveiros com qualidade técnica que ofereçam mudas de excelência e qualidade aos consumidores.

Cenário de mudas no Brasil e aspectos técnicos

É crescente o número de produção de mudas no Brasil, principalmente de mudas nativas como é o caso de Ipê, Jequitibá, Paineira, entre outras que compõem as principais espécies presentes nos biomas brasileiros. Esse aumento se faz presente após a as regulamentações exigidas no CAR (cadastro ambiental rural), um registro público eletrônico, obrigatório para imóveis rurais, visando integrar as informações obtidas sobre áreas de preservação permanentes dentro de propriedades rurais. No intuito de satisfazer tais demandas houve um aumento no reflorestamento e implantação de matas nativas.

Além do aumento por mudas nativas é constante o mercado de mudas de hortaliças e frutíferas no país, tendo como base que a produção de mudas garante uma enorme qualidade aos produtores desses sistemas, que compreendem os agricultores que praticam a atividade em esfera familiar, representando cerca 67% dos 15 milhões de produtores rurais brasileiros.

A atividade está em foco, no entanto o viveirista necessita ter bons atributos para entrar no mercado e ofertar mudas de amplas qualidades aos consumidores. Na produção de plantas é fundamental a escolha de um local para instalação do viveiro, visando uma boa disponibilidade luminosa, hídrica e de temperatura. Além da mão de obra qualificada para trabalhar dentro dos estabelecimentos, boa localização a fim de se alcançar um bom escoamento, por isso a necessidade de realizar estudos a fim de se obter uma boa viabilidade técnica e econômica. E claro, oferecer boas variedades com alto padrão garantido o sucesso produtivo.

Custo e rentabilidade de viveiros

É importante que sejam realizados diversos estudos antes da construção do viveiro de mudas. A análise da viabilidade da construção em relação a inclinação e drenagem do solo, disponibilidade de água e localização é indispensável. Igualmente, uma série de outras questões que devem ser analisadas antes de dar início à construção. Um exemplo é o estudo de legislações vigentes para que toda a produção e comercialização das mudas sejam realizadas de acordo com a lei.

Existem hoje diferentes tipos de viveiros que podem ser utilizados nos cultivos. As variações vão desde a durabilidade, que pode ser apenas temporária, para produção em período determinado, ou permanente, para produção constante de mudas. Assim, existem também diversas opções quanto a estrutura, sendo o tipo, as dimensões e o material que serão utilizados na construção, fatores de grande influência nos custos dessa implementação.

Além dos gastos relacionados à construção da estrutura do viveiro que inicialmente não são considerados muito elevados, existem ainda outros custos. Portanto, o investimento com a instalação do sistema de irrigação, insumos e com a mão de obra não deve ser esquecido. Por isso, a instalação completa de um viveiro pode apresentar custos elevados, de modo que se torna indispensável uma condução adequada de todo o processo para que não haja gastos desnecessários.

Apesar do investimento necessário, a rentabilidade atrelada com a produção de mudas, é positiva. Seja na venda para terceiros ou para redução de custos na produção e maior confiabilidade da qualidade e origem das mudas. Atualmente esse mercado tem sido crescente, especialmente se tratando de mudas com maior padrão de qualidade, sendo então uma boa oportunidade de mercado e investimento.

Fonte: Cepea /Esalq - Maitê de Oliveira e Matheus Rubim