fbpx

Indígenas e extrativistas discutem desenvolvimento das comunidades nativas

Em audiência pública, Comissão de Agricultura do Senado debateu a possibilidade de os povos indígenas praticarem atividades agrícolas em suas terras

A questão central é permitir que indígenas e extrativistas possam ter condições de desenvolver atividades econômicas para garantir seu próprio sustento e uma das limitações é a proibição de exercer a produção agropecuária com fins comerciais. 

“É preciso que as tribos brasileiras em qualquer canto do país, possam avançar e evoluir. Esse é o nosso objetivo”, afirmou o vice-presidente do colegiado, senador Luis Carlos Heinze (PP-RS), que conduziu os trabalhos, reconheceu também que há muitas tribos no país que não têm interesse em desenvolver a atividade agrícola, mas defende um avanço na legislação.



Para ele, é preciso buscar mecanismos para debater problemas vividos pelos povos indígenas e aumentar sua participação nas discussões das políticas públicas para os índios. “As maiores reservas estão no Brasil, o que a gente quer é liberdade para que as pessoas escolham o que seja melhor para os índios, que eles possam viver muito melhor do que antes, mantendo a cultura e a tradição. 

“Será que todos os povos são condenados a viver na época das cavernas? Será que nós temos que ficar dentro do mato passando frio sem termos o direito de nos desenvolver?” questionou a secretária especial de saúde indígena do Ministério da Saúde, Sílvia Waiãpi.