fbpx

Nitrato de potássio e silício são capazes de aumentar tolerância do sorgo à seca

Descoberta pode ajudar a desenvolver plantas resilientes aos efeitos das mudanças no clima

Os cientistas avaliaram plantas cultivadas sob déficit hídrico no pré-florescimento, período do desenvolvimento do sorgo em que ele é mais afetado pela deficiência hídrica. “Por isso, foi imposto o estresse nesse período, também chamado de fase de emborrachamento, como se diz para a cultura do sorgo”, conta o pesquisador da Embrapa Paulo César Magalhães.

Os pesquisadores constataram que, na condição de seca, as plantas tratadas com nitrato de potássio apresentaram maiores níveis de clorofila, maior taxa fotossintética, melhor transpiração, além de progredir em outros índices e mostrar maiores teores de fósforo (P), potássio (K), magnésio (Mg), enxofre (S), cobre (Cu) e ferro (Fe), quando comparadas àquelas não tratadas com nitrato de potássio.



As plantas que receberam esse nitrato também apresentaram maior crescimento e tiveram o rendimento de grãos 32,2% maior que aquelas que não foram tratadas com KNO3. “Por meio dessas variáveis, é possível afirmar que o KNO3 induziu tolerância à seca em plantas de sorgo submetidas ao estresse hídrico severo no pré-florescimento”, ressalta Magalhães.

Já com a aplicação de silício, os cientistas observaram mitigação dos efeitos da seca sobre o potencial hídrico foliar, fotossíntese, e morfometria do sistema radicular (Medição e caracterização morfológica do sistema radicular). Além disso, o elemento atuou positivamente sobre o sistema antioxidante e conteúdo de açúcares da planta. “Esses efeitos positivos contribuíram para um maior rendimento de grãos e, portanto, para maior tolerância à seca”, detalha Magalhães.

Ele explica que a tolerância à seca está relacionada a um mecanismo mediado por uma cadeia de proteínas chamadas de aquaporinas, que atravessam a membrana celular. Elas conduzem, de maneira seletiva, moléculas de água para dentro e para fora da célula. O estudo identificou a aquaporina TIP 4 como a mais responsiva à seca em plantas de sorgo. Esses resultados poderão ajudar outras pesquisas para aprimorar ainda mais o desempenho do sorgo em condições de estresse hídrico.

Resumo Técnico

  • Plantas de sorgo tratadas com nitrato de potássio (KNO3) e silício (Si) apresentaram melhor desempenho em condições de déficit hídrico;
  • O rendimento de grãos foi 32% maior nas plantas tratadas com nitrato de potássio, comparado ao das plantas que não receberam o elemento químico;
  • A aplicação de silício teve impactos positivos na mitigação dos efeitos da seca sobre o potencial hídrico foliar e a fotossíntese, além de outros benefícios para as plantas;
  •  As plantas foram avaliadas na fase de pré-florescimento, quando o sorgo é mais afetado pela falta de água;
  • Os estudos, conduzidos pela Embrapa e Universidade Federal de Lavras (UFLA), reforçam o conhecimento sobre a tolerância do sorgo à seca e sobre os impactos das mudanças climáticas na agricultura.