fbpx

O que é e quais são Boas Práticas Agronômicas

Com a chegada de uma nova safra de soja, nada mais importante que esclarecer e lembrar da importância das boas práticas agronômicas que auxiliam em melhores resultados.

Boas Práticas Agronômicas é o conjunto de técnicas de manejo que auxilia o agricultor a fazer um uso sustentável de tecnologia, desde o pré-plantio até o pós-colheita. O uso dessas técnicas proporciona maior eficiência e produtividade em sua lavoura. São elas:



Dessecação pré-plantio
Sementes certificadas
Tratamento de sementes
Refúgio Agrícola
Controle de plantas daninhas
Monitoramento de pragas

A aplicação dessas Boas Práticas em conjunto com a adoção de sementes resistentes a insetos (Bt) contribui para a redução de perdas em culturas de soja, milho e algodão transgênicos. Isso aumenta a produtividade e qualidade do produto final.

Plantas Bt (Bacillus thuringiensis) são desenvolvidas por meio da biotecnologia para serem capazes de resistir a determinados insetos-praga. Para que as plantas apresentem essa resistência, foi inserido em seu DNA um gene que expressa uma proteína tóxica para alguns insetos como lagartas, besouros, moscas etc. Essa inserção, entretanto, não tem efeito sobre outros organismos e nem sobre o ser humano.

DESSECAÇÃO PRÉ-PLANTIO

A dessecação pré-plantio, ou dessecação antecipada, é uma prática utilizada para eliminar toda a vegetação existente em uma área antes da semeadura. Isso inclui plantas daninhas e restos de culturas antecessoras.

Essas plantas prejudicam a lavoura pois geram uma competição por luz, água e nutrientes do solo durante todo o ciclo de desenvolvimento. Além disso, podem hospedar pragas que sobrevivem no período da entressafra (fase de pousio).

Como é feita a dessecação pré-plantio

A dessecação pré-plantio é feita por meio da aplicação de herbicidas para secar plantas daninhas e restos da cultura antecessora aproximadamente 30 dias antes do plantio. Para isso, podem ser utilizados herbicidas sobre o solo ou sobre as folhas das plantas. Os herbicidas podem ser de ação sistêmica ou de contato.

Benefícios da dessecação pré-plantio

  1. Uniformidade de maturação;
  2. Antecipação da colheita (podendo variar entre 3 e 7 dias);
  3. Aumento de qualidade dos grãos colhidos;
  4. Facilidade no manejo das plantas daninhas;
  5. Redução de perdas na colheita.
SEMENTES CERTIFICADAS

O processo de certificação tem como objetivo a produção de sementes com controle de qualidade garantido em todas as etapas, incluindo o conhecimento da origem genética e o controle de gerações, conforme define o Ministério da Agricultura, Pecuária e Abastecimento (MAPA). O uso de sementes certificadas garante o desempenho da variedade plantada.

VEJA MAIS SOBRE SEMENTES CERTIFICADAS

A utilização de semente certificada é a primeira e mais importante decisão no que diz respeito ao Manejo de Resistência de Insetos (MRI). Isso garante ao produtor segurança sobre o grão cultivado e seus benefícios.

É altamente desaconselhável o uso de sementes ilegais. A escolha pode reduzir a produtividade da lavoura e também aumentar o risco de propagação de insetos e outras pragas. Esse tipo de semente também encarece a produção, pois geralmente demanda uma maior aplicação de defensivos agrícolas. O MAPA realiza ações para fiscalizar a pirataria de sementes, tanto na produção quanto na comercialização.

TRATAMENTO DE SEMENTES
tratamento de sementes soja

O principal objetivo do tratamento da semente é protegê-la contra patógenos do solo – fungos, principalmente – durante o período entre a semeadura e a germinação da semente. Também, o tratamento tem o propósito de descontaminar a semente de organismos patogênicos, evitando sua introdução em áreas ilesas.

Benefícios do tratamento de sementes

  1. Controle de pragas e doenças na fase inicial da cultura;
  2. Manutenção do estande inicial da lavoura;
  3. Auxílio no estabelecimento de plantas não Bt nas áreas de refúgio.
ÁREAS DE REFÚGIO AGRÍCOLA

Refúgio Agrícola é a plantação de um percentual de sementes não-Bt em meio às transgênicas. Ocorre nas lavouras Bt de soja, milho, algodão e cana-de-açúcar, por exemplo.

Créditos: Boas Práticas Agronômicas
CONTROLE DE PLANTAS DANINHAS

Algumas plantas podem hospedar pragas, permitindo que uma grande quantidade sobreviva e ataque a plantação. As plantas daninhas também são consideradas hospedeiras de lagartas em estágios em que é mais difícil controlá-las com a tecnologia Bt.

Práticas que contribuem no controle

  1. Iniciar a cultura no limpo, fazendo um controle efetivo antecipadamente no pré-plantio;
  2. Utilizar as práticas integradas de manejo durante todo o ano;
  3. Aplicar a dose correta de produtos nos momentos recomendados;
  4. Usar o manejo pós-colheita, associando herbicidas com diferentes mecanismos de ação;
  5. Monitorar os resultados.

MONITORAMENTO DE PRAGAS

O monitoramento faz parte do Manejo Integrado de Pragas (MIP), que aliado com a área de refúgio constitui a base para a sustentabilidade da tecnologia Bt. O monitoramento de pragas é uma técnica essencial para preservar a eficácia do refúgio e auxiliar na tomada de decisão.

Outras Boas Práticas

  • Tecnologia de aplicação
  • Defensivos agrícolas
  • Irrigação
  • Manejo Integrado de Pragas
  • Plantio direto
  • Rotação de culturas
  • Conservação do solo
Para obter os resultados esperados é preciso adotar todas as Boas Práticas Agronômicas, e não apenas uma.

Fontes de Pesquisa
CIB – Conselho de Informações sobre Biotecnologia
Boas Práticas Agronômicas
Engº Agrônomo Carlos Roberto Dellavalle Filho


SEGURO AGRÍCOLA
Com a necessidade do produtor rural ter um seguro de lavoura sem burocracia, de fácil contratação e que protegesse seus altos investimentos contra intempéries climáticas, a SEGURAGRO inovou os serviços de atendimento e assessoria na contratação de seguro agrícola de lavouras para culturas de soja, milho, trigo, feijão, café, cana-de-açúcar e outras culturas.

SAIBA MAIS SOBRE SEGUROS AGRÍCOLAS