fbpx

Paraná publica documento com medidas de prevenção em frigoríficos

A Secretaria de Saúde do Paraná publicou na última semana um documento que estabelece medidas de prevenção e controle da transmissão do vírus causador da Covid-19 em indústrias de abate e processamento de carnes. Entre as medidas publicadas na resolução nº 855/2020, há a indicação de que todas as indústrias devem instituir um plano de contingência para prevenção, monitoramento e controle da transmissão do coronavírus.

No plano devem constar ações a serem realizadas pelo Serviço Especializado em Engenharia e Segurança e em Medicina do Trabalho em articulação com a Vigilância Epidemiológica do município em que a planta industrial está instalada.

“O objetivo é aproximar as vigilâncias municipais das áreas de saúde do trabalhador, com vistas a uma apoiar a outra para um trabalho mais forte e robusto no enfrentamento a esta doença”, disse o secretário da Saúde do Paraná, Beto Preto.



No documento, consta a indicação de cumprimento de normas do uso de equipamentos de proteção individuais. Os postos de trabalho devem ser organizados de forma que haja espaçamento de 2 metros entre os trabalhadores, associado ao uso de equipamentos de proteção individual. Se essa distância não for possível, devem ser utilizadas máscaras de acetato do tipo face shield e/ou anteparos físicos de material impermeável e transparente, colocados entre os postos de trabalho, sem que a distância seja inferior a 1,5 metro.

Também há indicação de afastamento dos trabalhadores durante a atividade laboral e a conduta a ser cumprida quando ocorrerem suspeitas ou casos confirmados.

Às empresas, a normativa determina que disponibilizem equipamentos de proteção e condições para que o trabalhador esteja seguro no ambiente laboral. Aos trabalhadores, a determinação é que use corretamente os equipamentos e avise sua chefia imediatamente caso apresente algum sintoma ou sinal compatível com a doença para que o rastreamento e o bloqueio sejam mais efetivos.

O Paraná abriga cerca de 300 frigoríficos de diversos portes, que empregam mais de 100 mil pessoas, de acordo com o governo estadual.

Fonte: Canal Rural