fbpx

Semana com chuvas na região central do país

As previsões do Instituto Nacional de Meteorologia (Inmet) indicam que na segunda quinzena de Agosto, uma frente fria mais forte pode avançar para a parte central do Brasil. As previsões, no entanto, ainda não se tratam da volta efetiva da estação chuvosa.  

Já os mapas de precipitação acumulada nos últimos cinco dias, confirmam as previsões feitas anteriormente e as chuvas mais expressivas de fato só aconteceu no leste do Nordeste, com volumes entre 20 e 30 milímetros de precipitação.

Para as temperaturas, as máximas registraram altas nos últimos dias e a tendência é que continue subindo ao longo da próxima semana. “A gente vê um domínio da massa quente e seca pegando Mato Grosso do Sul, Paraguai, Argentina e oeste da região sul do Brasil”, comenta o meteorologista.

No dia 12, próxima quarta-feira, uma nova frente fria deve entrar pelo sul do Brasil, ficando os volumes mais altos esperados para o Rio Grande do Sul. Ainda de acordo com Francisco, a frente fria passa rápido pelo estado, entre o dia 12 e 14 de agosto. Conforme a chuva sobe mais ao norte do estado, a tendência é de diminuição nos volumes. 

Após a passagem da frente fria, as temperaturas devem registrar um declínio expressivo no Rio Grande do Sul. Francisco destaca que as quedas podem ficar entre 12 e 15 graus. O ar frio, no entanto, deve ficar restrito ao Rio Grande do Sul, sem atingir Santa Catarina ou Paraná. 

Os modelos de previsão estendida mostram que uma nova frente fria deve começar a mudar as condições do tempo na terceira semana de Agosto. “A gente já vê se formando, bem ativa e forte”, comenta. Segundo o meteorologista, há a expectativa de que essa chuva evolua e avance mais ao norte do país. 

“Aqui já mostra que está havendo uma quebra no sistema de bloqueio”, destaca Francisco. As previsões mais estendidas indicam ainda que as chuvas podem levar certo alívio ao produtor de café do sul de Minas Gerais, que já começa a se preocupar com a seca e desenvolvimento da próxima safra. 

Fonte: Aleksander Horta e Virgínia Alves - Notícias Agrícolas