fbpx

Será que chove em novembro?

Novembro terá as áreas de chuva bem divididas pelo Brasil. Assim como foi outubro, a região Sul, o oeste de Mato Grosso, Rondônia, Acre e o extremo norte do país devem ter valores entre a média e acima da média climatológica.

Análise e Previsão para o Brasil

No Sul, o destaque vai mais uma vez para o Rio Grande do Sul . Na metade sul do estado, a média de novembro é inferior a 150 milímetros, mas os acumulados podem ultrapassar os 250. Esta condição aumenta o risco para transtornos como transbordamentos, deslizamentos e pontos de alagamento.

Entre Santa Catarina, Paraná, Mato Grosso do Sul, e o interior de São Paulo, a chuva irá ocorrer de forma bem parecida com as pancadas de verão, ou seja, principalmente entre as tardes e noites, com ventania, trovoada e de maneira bem irregular. A estimativa é que os volumes fiquem dentro do normal variando de 175 a 200 milímetros de chuva. Minas Gerais deve ter de 30 a 50 milímetros a menos do que isto.

Do norte São Paulo até o Nordeste, em Goiás, grande parte de Mato Grosso, Tocantins e Pará devem receber pancadas bem isoladas e com baixos volumes. Tanto que a expectativa é de acumulados abaixo da média climatológica para o mês em todas estas áreas. Não quer dizer será seco em todo o mês de novembro, mas sim que a chuva que ocorrer não será suficiente para alcançar a média climatológica.

No Norte do Brasil é normal chover de 200 a 300 milímetros e se pode esperar até 30 milímetros a menos do que isso.  No Matopiba a média climatológica gira em torno dos 150, 250 milímetros e a previsão indica de 30 a 50 milímetros a menos. Já o agreste vai viver o seu período seco com no máximo 50 milímetros de chuva distribuídos nos próximos 30 dias.

Com relação às temperaturas, o calor será maior que a média em todas as áreas do centro-norte do Brasil. E abaixo da média nos três estados da Região Sul, especialmente no Rio Grande do Sul, com destaque para a região da Campanha, onde teremos mais dias nublados e com chuva ao longo do mês.

Com informações de Somar Meteorologia e Tempo Agora


SEGURO AGRÍCOLA
Com a necessidade do produtor rural ter um seguro de lavoura sem burocracia, de fácil contratação e que protegesse seus altos investimentos contra intempéries climáticas, a SEGURAGRO inovou os serviços de atendimento e assessoria na contratação de seguro agrícola de lavouras para culturas de soja, milho, trigo, feijão, café, cana-de-açúcar e outras culturas.

SAIBA MAIS SOBRE SEGUROS AGRÍCOLAS

Fonte: Assessoria de Imprensa